Cintilografia com MIBG (Metaiodobenzilguanidina)

Outros nomes que este procedimento pode ser chamado:

Cintilografia com MIBG 131I / 123I, Cintilografia com metaiodobenzilguanidina, Cintilografia para pesquisa de feocromocitoma / paraganglioma.

Introdução:

Os tumores neuroendócrinos (NETs) constituem um grupo heterogêneo de neoplasias com origem nas células endócrinas, que podem apresentar-se como tumores ativos ou não ativos, de crescimento lento ou mais agressivos.

Tumores com origem nas células cromafins da medula suprarrenal são denominados feocromocitomas e neuroblastomas, aqueles com origem em células do sistema nervoso simpático são conhecidos como paragangliomas.

Devido à alta taxa de vascularização desses tumores, uma biópsia muitas vezes não pode ser realizada. Por conseguinte, os exames de diagnóstico por imagem, como as cintigrafias e o PET/CT podem ser cruciais para determinar a extensão exata do tumor, sobretudo das metástases.

Indicações:

Deteção, localização, estadiamento e acompanhamento de tumores neuroendócrinos e suas metástases, em: feocromocitomas, neuroblastomas,  ganglioneuroblastomas, ganglioneuromas, paragangliomas, tumores carcinóides,  carcinomas medulares da tireoide, tumores de células de Merkel e síndromes neuroendórinas múltiplas.

Avaliação da captação do radiofármaco no tumor e do tempo de permanência, a fim de decidir e planear um tratamento com 131I-mIBG, assim como da resposta do tumor ao tratamento.

Radiofármacos:

  • 123I-mIBG (metaiodobenzilguanidina ligada ao iodo 123).
  • 131I-mIBG (metaiodobenzilguanidina ligada ao iodo 131).

Preparo:

Não há necessidade de jejum.

Deve ser suspenso o uso de bebidas e alimentos que contenham cafeína (ex: café, chocolates, chá-preto, chá-verde, refrigerantes a base de coca e guaraná, energéticos, etc) 24 horas antes do exame.

Para que a medicação não seja absorvida pela glândula tireoide, é importante o uso de xarope a base de iodeto de potássio ou lugol, conforme será orientado no agendamento do exame. Exceto nos casos onde o órgão a ser avaliado em questão, seja a tireoide.

Como é feito o exame?

Ao chegar à clínica, o paciente será atendido para a abertura da ficha cadastral.  Em seguida, será encaminhado para o setor técnico para realização de uma breve entrevista e confirmação do preparo.

Na sequência o medicamento será administrado na veia do paciente, que  permanecerá de repouso em observação por um período de 15 a 60 minutos, para controle da pressão arterial e frequência cardíaca.

Paciente será orientado a retornar na clínica para realização das imagens após 6 à 24 horas, caso o radiofármaco utilizado seja o 123I-MIBG, e em 48 a 72 horas, caso o radiofármaco utilizado seja o 131I-MIBG.

Ao retornar na clínica o paciente será direcionado a sala de exames, onde permanecerá deitado por 30-60 minutos para aquisição das imagens do corpo inteiro (tempo de duração do exame é variável, de acordo com o organismo e estatura de cada paciente, assim como irá depender eventualmente da necessidade de realização de imagens tomográficas complementares).

Eventualmente, imagens tardias complementares poderão ser necessárias.

Efeitos colaterais e contraindicações:

Uma vez que o MIBG é um análogo da norepinefrina, é possível que ocorram efeitos adversos adrenérgicos, especialmente se a injeção for rápida. Esses efeitos incluem taquicardia, dor no peito, hipertonia transitória e cólicas abdominais.

O exame está contraindicado para mulheres grávidas. A amamentação deve ser suspensa de modo definitivo após a realização deste exame com iodo 131 ou 48 horas após o uso de iodo 123.

Como solicitar? 

Cintilografia com MIBG (Metaiodobenzilguanidina) – Código TUSS: 40708047

Imagens:

PCI I131-MIBG: Imagens do corpo inteiro na projeção anterior e posterior que evidenciam área focal de hipercaptação do radiofármaco na projeção da pelve. Demais áreas com distribuição fisiológica do radiofármaco.

Imagens A (tomografia computadorizada) e B (SPECT/CT) evidenciam a captação na projeção de formação nodular logo após a bifurcação das artérias ilíacas.

Considerações finais:

A cintilografia com MIBG tem uma especificidade e um valor preditivo positivo elevados para feocromocitomas/pagangliomas, aproximadamente de 100%. A sensibilidade e o valor preditivo negativo para feocromocitomas são de 84% e 86%, respectivamente. Sendo assim, a cintilografia com MIBG é um método de diagnóstico não invasivo crucial para o tratamento de tumores neuroendócrinos, como o feocromocitoma / pagangliomas.

Referências Bibliográficas:

  1. Coura-Filho, G.B., Torres Silva de Oliveira, M., Morais de Campos, A.L. (2022). Basic Principles of Radiopharmaceuticals. In: Nuclear Medicine in Endocrine Disorders. Springer, Chapters 6,7,9. https://doi.org/10.1007/978-3-031-13224-7_1.
  2. Bombardieri, E., Giammarile, F., Aktolun, C. et al. 131I/123I-Metaiodobenzylguanidine (mIBG) scintigraphy: procedure guidelines for tumour imaging. Eur J Nucl Med Mol Imaging 37, 2436–2446 (2010). https://doi.org/10.1007/s00259-010-1545-7.
  3. Bula.https://www.ipen.br/portal_por/conteudo/centro_de_radiofarmacia/bulas/GUAN-IPEN-131_Profissional_da_saude_Rev_06.pdf .  Acesso em 17/02/2024.
  4. Nucl Med Commun. 2020 Oct;41(10):1047-1059. doi: 10.1097/MNM.0000000000001251.
  5. Semin Nucl Med. 2011 Sep; 41(5): 364–368. doi: 10.1053/j.semnuclmed.2011.03.003.

AUTORA: Dra. Mayara Torres Silva de Oliveira – CRM / SP 147.385 – Médica Nuclear. 

CRM / SP 147.385 – Médica Nuclear