Cintilografia para Pesquisa de Refluxo Gastroesofágico e Aspiração Pulmonar

Outros nomes que este procedimento pode ser chamado:

Cintilografia gástrica para pesquisa do refluxo gastro-esofágico, pesquisa do refluxo gastro-esofágico com radioisótopos, pesquisa do refluxo gastro-esofágico com tecnécio, Cintilografia para pesquisa de RGE, Cintilografia para pesquisa de refluxo gastro esofágico e aspiração pulmonar.

Introdução:

 O refluxo gastroesofágico (RGE) consiste no “Retorno do conteúdo gástrico para o esôfago, alcançando, por vezes, a faringe, a boca e as vias aéreas superiores”, de acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria. A Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE) é uma doença resultante do fluxo retrógrado de conteúdo gástrico para o esôfago, orofaringe e/ou vias respiratórias, que causa sintomas incômodos, lesões ou complicações suficientes para prejudicar a qualidade de vida dos pacientes, ou seja, quando o RGE causa manifestações clínicas. Os principais mecanismos envolvidos são o relaxamento transitório do esfíncter esofágico inferior e mudanças na pressão abdominal.

Esta doença é amplamente prevalente ao redor do mundo, com evidência clara de aumento crescente em muitos países em desenvolvimento. A apresentação da doença é considerada semelhante em todos os cinco continentes, com azia e regurgitação como principais sintomas. Em crianças, o vômito/regurgitação é a manifestação mais frequente, além da irritabilidade, dificuldades na amamentação, anemia, pneumonia, etc.

Os sintomas induzidos pela DRGE, a esofagite erosiva e as complicações a longo prazo podem ter efeitos nocivos nas atividades diárias, produtividade laboral, sono e qualidade de vida. Além disso, pode promover o desenvolvimento de uma alteração denominada “esôfago de Barrett” (EB) observada na endoscopia e confirmada com a biópsia, que é considerada a única complicação identificável da DRGE com potencial maligno, por isso seu diagnóstico é tão importante.

Indicações:

O exame está indicado para auxiliar médicos na avaliação do RGE e de aspiração pulmonar, especialmente em crianças. Assim como no monitoramento durante tratamentos e após as terapias.

Manejo inicial do tratamento da DRGE em crianças com:​

– suspeita de aspiração pulmonar;​

– atraso no desenvolvimento;​

  • ou sintomas do trato respiratório, infecções de vias aéreas de repetição, asma refratária e apneia;​
  • pacientes com sintomas suspeitos de RGE, que já foram submetidos a algum tratamento, sem melhora dos sintomas, com outros exames negativos.​

Radiofármaco:

Radiofármaco marcado com 99mTc-Pertecnetato.

Preparo:

  • Recomenda-se jejum absoluto de 4 horas. Lactentes e bebês de colo, recomenda-se no mínimo 2 horas de jejum.
  • O paciente e/ou responsável pelo paciente deve trazer o leite que consome diariamente, no caso de crianças em amamentação exclusiva, recomenda-se trazer o leite materno em uma mamadeira. Pacientes com alergia ou intolerância à lactose, o exame pode ser realizado com o leite indicado para o paciente, que está habituado ao consumo.
  • A critério médico, deve-se suspender medicações de uso contínuo como bromoprida, Plasil, Plamet, Digesan, etc, dois dias antes do exame.

Como é feito o exame?

O paciente irá ingerir o leite misturado com o radiofármaco na quantidade que estáp habituado a consumir em casa, porém é desejável acima de 50 ml, para melhorar a sensibilidade do estudo, por isso o jejum é importante. É importante que todo o leite seja ingerido entre 10 e 15 minutos.

Imediatamente após o consumo do leite, o paciente será posicionado em decúbito dorsal no equipamento, onde imagens serão adquiridas do tórax e estômago, em média durante 30 minutos. Caso haja indicação para pesquisa de aspiração pulmonar, imagens tardias complementares poderão ser solicitadas 4 e 24 horas após a ingestão do radiofármaco.

Efeitos colaterais e contraindicações:

De uma forma geral, as reações adversas relacionadas aos radiofármacos são raras e são comumente leves, reversíveis, tais como coceira, vermelhidão no local da injeção.

Este exame é contraindicado para mulheres grávidas.

Como solicitar?

Cintilografia para Pesquisa de Refluxo Gastroesofágico –  Código TUSS: 40702103

Pesquisa de Aspiração Pulmonar – Código TUSS: 40709019

Imagens:

Fig 1: Cintilografia para Pesquisa de Refluxo Gastroesofágico: Exemplo de um exame normal, sem evidências de refluxo.

Fig 2: Cintilografia para Pesquisa de Refluxo Gastroesofágico: Exemplo de um exame alterado, com episódio de refluxo (na terceira imagem).

Considerações finais:

A cintilografia para pesquisa da DRGE é uma técnica cintilográfica para detecção de RGE e doenças pulmonares. Infelizmente, os pontos fortes e o potencial diagnóstico deste estudo não estão bem representados na literatura médica.

A cintilografia pode auxiliar na diferenciação entre aspiração pulmonar direta de refluxo, assim como identificar episódios de refluxo gastroesofágico.

Este exame é o método não invasivo mais sensível para detecção de refluxo gastroesofágico, especialmente em pacientes pediátricos que sofrem de tosse persistente e infecções pulmonares recorrentes. Além disso, apresenta maior especificidade em comparação com a pHmetria esofágica de 24h, podendo variar entre 80-100%.

Referências Bibliográficas:

  1. Bar-Sever, Z. (2017). Scintigraphic Evaluation of Gastroesophageal Reflux and Pulmonary Aspiration in Children. Seminars in Nuclear Medicine, 47(3), 275–285. doi:10.1053/j.semnuclmed.2016.12.
  2. Middleton, M. L., & Strober, M. D. (2012). Planar Scintigraphic Imaging of the Gastrointestinal Tract in Clinical Practice. Seminars in Nuclear Medicine, 42(1), 33–40. doi:10.1053/j.semnuclmed.2011.07.006
  3. Bauer ML, Figueroa-Colon R, Georgeson K, Young DW. Chronic pulmonary aspiration in children. South Med J. 1993 Jul;86(7):789-95. doi: 10.1097/00007611-199307000-00015. PMID: 8100646.
  4. Karavida N, Tsikopoulos G. [Nuclear medicine applications of the gastrointestinal tract in pediatric surgery]. Hell J Nucl Med. 2010 Sep-Dec;13(3):308-13. Greek, Modern. PMID: 21193898.
  5. Nuclear Medicine CLINICAL DECISION SUPPORT. Gastro-oesophageal reflux. Disponível em: https://www.nucmed-cds.app/#!/indication/7949 . Acessado em 11/03/2024.

 

Autora: Dra. Mayara Torres S. de Oliveira – Médica nuclear – CRM / SP 147.385.

CRM / SP 147.385 – Médica Nuclear