Pesquisa de Corpo Inteiro com 67GA

Os exames cintilográficos têm sido empregados há vários anos na detecção, estadiamento e reestadiamento de processos inflamatórios e tumorais.
Entre esses exames, um dos mais utilizados, é a cintilografia com Gálio-67 (67Ga). Seu uso em processos tumorais data de 1969, posteriormente, em 1972, iniciou-se para processos inflamatórios.
O 67Ga é um metal do grupo IIIA, que comporta-se analogamente ao íon ferro. Após a injeção venosa de 67Ga é transportado pela transferrina, passando para o tecido intersticial devido ao aumento da permeabilidade do endotélio celular e liga-se à lactoferrina liberada pelos leucócitos e aos sideróforos produzidos pelos micro-organismos, assim como os receptores de transferrina que estão aumentados em alguns tumores, além do aumento da lactoferrina, evidenciado, por exemplo em linfomas.
Atualmente, devido a falta de alta especificidade do método e pelo tempo prolongado entre a administração do radiofármaco e a realização das imagens, o 18F-FDG PET tem progressivamente substituído o 67Ga na avaliação de tumores e processos infecciosos.

>> Principais Indicações Clínicas

-> Avaliação de processo infeccioso ósseo;
-> Avaliação de processos inflamatórios pulmonares (diagnóstico precoce em imunodeprimidos, fibrose pulmonar, asbestose e pneumonites);
-> Sarcoidose;
-> Cardite (miocardiopatia dilatada, pericardite);
-> Febre de origem desconhecida;
-> Linfomas (recorrência, avaliação de resposta terapêutica);
-> Câncer de pulmão;
-> Melanoma;
-> Mesotelioma;
-> Carcinoma hepatocelular.

>> Contra Indicações

Gravidez;
Não recomendado para pacientes em amamentação.

>> Principais Efeitos Colaterais

Os efeitos colaterais são muito raros e quando ocorrem são de leve intensidade. Algumas reações adversas descritas na literatura são: calafrios, febre, cefaléia, náuseas, vômitos, erupções cutâneas, rash, prurido, taquicardia, síncope, gosto metálico, vertigem, hipotensão, sudorese e tontura.

>> Sensibilidade e Especificidade

-> A sensibilidade e especificidade da cintilografia com 67Ga na osteomielite é de 85% e 77%, respectivamente. Quando associado a cintilografia óssea, a sensibilidade aumenta para 92% e a especificidade para 94%.
-> Quando citamos a utilização da cintilografia com 67Ga na avaliação de processo inflamatório cardíaco, sabemos que a metodologia tem sido substituída por outros métodos em decorrência da sua menor especificidade. A ressonância magnética com protocolos específicos para a investigação de miocardite tem sido considerada método padrão, cuja sensibilidade e especificidade se encontra em torno de 100%.
-> Já nos casos de sarcoidose, os resultados tem mostrado que a 18F-FDG PET pode detectar lesões pulmonares de forma semelhante à cintilografia com 67Ga. Entretanto, a 18F-FDG PET parece ser mais acurado na avaliação de envolvimento extra-pulmonar.
-> Nos tumores, tais como linfoma e melanoma, a sensibilidade e especificidade da 18F-FDG PET é superior ao 67Ga (sensibilidade 100% versus 80,3% e especificidade de 100% versus 71,5, respectivamente).
-> No hepatocarcinoma a utilização do 67Ga tem sido descrita desde a década de 1970 e cerca de 90% dos hepatocarcinomas captam o 67Ga. A combinação com outras técnicas de imagem como a cintilografia com enxofre coloidal aumenta a acurácia no diagnóstico de tal neoplasia. Atualmente novos radiofármacos para PET como o 11C-acetato e o FDG tem se mostrado superiores ao 67Ga na avaliação do hepatocarcinoma.

>> Preparo

-> Não há preparo específico, é recomendada uma dieta rica em fibras e líquidos.
-> Eventualmente podem ser prescritos catárticos para avaliação abdominal.
-> Evitar exame pelo menos 24 horas após transfusão sanguínea.
-> Evitar realizar Ressonância Magnética com Gadolíneo, 24 horas antes da injeção de 67Ga.

>> Descrição do Procedimento

-> Ao chegar à clínica, o paciente será atendido na recepção para confecção ou atualização da ficha cadastral. Será dado um termo de consentimento livre e esclarecido para a realização do exame.
-> O paciente receberá um crachá de identificação e será encaminhado para o setor técnico onde serão conferidos novamente os dados, passará por entrevista médica, será administrada a medicação intravenosa, quando necessário a prescrição de catárticos, e orientado para retornar 48 horas após para a realização das imagens, que tem duração de aproximadamente 45 minutos. -> Eventualmente imagens com 72 horas, ou mais, poderão ser requisitadas.

>> Como Solicitar

Cintilografia com Gálio – Código TUSS: 40708020 – Código SUS: 02.08.09.001-0
Cintilografia pulmonar com Gálio – Código TUSS: 40708110 – Código SUS: 02.08.07.001-0
Cintilografia miocárdica com Gálio – Código TUSS: 40708020 – Código SUS: 02.08.01.001-7
* incluir CID em caso de hipótese diagnóstica.

>> Considerações Finais

A cintilografia com Gálio ainda apresenta grande utilidade para processos inflamatórios. Na avaliação de osteomielite o uso combinado com cintilografia óssea trifásica aumenta a acurácia diagnóstica. Por captar em diversos processos neoplásicos e infecciosos seu uso para pesquisa de febre de origem desconhecida é útil. Com o advento da tecnologia PET, o monitoramento, estadiamento e reestadiamento de pacientes oncológicos têm diminuído, porém como essa tecnologia ainda não está totalmente disseminada, os estudos com Gálio ainda são muito úteis principalmente nos casos de linfoma.

>> Referências Bibliográficas

1. Basu S, Zhuang H, Torigian DA,Rosenbaum J, Chen W,Alavi A, Functional imaging of inflammatory diseases using nuclear medicine techniques. Semin Nucl Med 2009 Mar;39(2):124-45
2. Bleeker-Rovers CP, Van Der Meer JW,Oyen WJ. Fever of unknown origin. Semin Nucl Med 2009 Mar:39(2):81-7
3. Schuster DM, Alazraki N. Gallium and other agents in diseases of the lung. Semin Nucl Medicine 2002 Jul:32(3):193-211.
4. Tsan MF, Scheffel U. Mechanism os Gallium-67 accumulation in tumors. J.Nucl Med 1998;29 (12):2019-20
5. Morton KA, Jarboe J, Burke EM. Gallium-67 imaging in lymphoma: tricks of the trade. J. Nucl Med Technol 2000;(28):221-32
6. Edwards CL, Hayes RL. Tumor scanning with 67Ga citrate. J Nucl Med 1969;(10):103-5
7. Elgazzar, AH. Orthopedic Nuclear Medicine 2004; 57
8. Nishiyama Y et at. Comparative Evaluation of 18F-FDG PET and 67Ga Scintigraphy in Patients with Sarcoidosis. J Nuc Med 2006; 47(10):1571-1576
9. Skouri H N et al. Noninvasive Imaging in Myocarditis. JACC 2006; 48(10):2085-93.
10. Okada M et al. FDG PET/CT versus CT, MR Imaging, and 67Ga Scintigraphy in the Posttherapy Evaluation of Malignant Lymphoma. Radiographics, 2010;30(4): 939-58.

Dr. Murilo Bertocco Meirelles
CRM 83.567
Médico Nuclear

<< Voltar