Cintilografia de Paratireoides

>> Principais Indicações Clínicas

-> Hiperparatireoidismo primário e secundário (adenoma e hiperplasia);
-> Localização de glândula paratireoide hiperfuncionante para programação da primeira cirurgia;
-> Recorrência ou persistência de hiperparatireoidismo, após tratamento cirúrgico inicial;
-> Localização da glândula paratireoide hiperfuncionante para cirurgia radioguiada.

>> Contra Indicações

-> Exame não é recomendado para pacientes grávidas ou com suspeita de gravidez.

>> Principais Efeitos Colaterais

-> Reações a radiofármaco são extremamente raras e quando ocorrem são de intensidade leve. Alguns efeitos colaterais descritos na literatura: náuseas, eritema, rubor, erupção cutânea difusa, prurido, dor de cabeça, gosto metálico e formigamento.

>> Como Solicitar

Cintilografia das paratiroides – Código TUSS: 40703045 / Código SUS: 02.08.03.001-8

>> Radiofármaco Utilizado

99mTc-Sestamibi; 201Tálio e 99mTc-Pertecnetatoo

>> Preparo

Não existe preparo prévio.

>> Descrição do Procedimento

-> O paciente será recebido pelo setor Recepção, onde deverá providenciar os documentos previamente relacionados para criação ou atualização da ficha cadastral, bem como ler e assinar o termo de consentimento livre e esclarecido para a realização do exame.
-> O paciente receberá um crachá de identificação e será encaminhado ao setor técnico para início do procedimento com uma entrevista para coleta de dados clínicos, verificação de preparo e orientações.

>> O estudo pode ser realizado:

-> Protocolo “dual-phase”, com aquisição de imagens precoces do pescoço e tórax (10 a 30 minutos após a injeção de 99mTc-sestamibi) e tardias (90 a 150 minutos após a injeção). Este radiotraçador é captado, inicialmente, na glândula tireoide, como na paratireoide hiperfuncionante e, lentamente, é eliminado dessas duas estruturas. Como a velocidade de eliminação é maior na glândula tireoide, as imagens tardias permitem que as glândulas paratireoides se destaquem nas áreas avaliadas.
-> Protocolo de subtração, por meio da injeção de dois radiotraçadores: 99mTc-sestamibi ou Cloreto de Talio-201Tl e 99mTc-pertecnetato ou Iodeto de Sódio-123I. O radiotraçador alternativo para o 99mTc-sestamibi é o 99mTc-tetroformin. O princípio deste protocolo baseia-se na diferença de comportamento dos traçadores: o sestamibi e o 201Tl são captados pela tireoide quanto pela paratireoide hiperfuncionante e o 99mTc e o 123Iodo, captados apenas pela tireoide. Assim, alguma área focal resultante da subtração eletrônica das duas imagens (sestamibi ou 201Tl – 99mTc ou 123Iodo) corresponde a paratireoide hiperfuncionante. A limitação deste protocolo é a movimentação do paciente durante (entre) a aquisição das diferentes imagens.

 

Dr. Nilton Massaki Hanaoka
CRM 73.805
Médico Nuclear

<< Voltar