Cintilografia de Paratireoides

Outros nomes que este procedimento pode ser chamado: Cintilografia das paratiroides, Mapeamento das glândulas paratiroides, Cintilografia das paratireoides, SPECT/CT com MIBI das paratireoides.

Introdução:

O tratamento cirúrgico das glândulas paratireóides pode ser uma abordagem curativa do hiperparatiroidismo. Mas este tipo de tratamento pode ter uma taxa de insucesso significativa e, neste contexto, a utilização de técnicas de imagem pré-operatórias para localização de glândulas paratiróides anormais se faz fundamental para reduzir a taxa de insucesso da cirurgia.
Desde o final da década de 1970 a cintilografia das glândulas paratireóides tem sido apresentada como ferramenta importante para ajudar no tratamento de pacientes com hiperparatiroidismo.

Indicações:

  • Localização pré-operatória de glândulas paratireoides anormais (hiperparatireoidismo primário).
  • Para detectar doença recorrente ou persistente tanto no hiperparatireoidismo primário como no secundário.
  • Selecionar pacientes com hiperparatireoidismo primário para cirurgia unilateral ou cirurgia focada, em vez da convencional exploração bilateral do pescoço.

Radiofármaco:

99mTc-SESTAMIBI é um radiofármaco formado por complexos catiônicos lipofílicos, que apresentam elevada captação mitocondrial, que está intimamente relacionada com a densidade de células oxífilas presente nas glândulas paratireoides.

Preparo:

Não é necessário.

Como é feito o exame?

Após o atendimento inicial pelo setor recepção para abertura de ficha cadastral, paciente será encaminhado para o setor técnico para uma breve entrevista, posteriormente será encaminhado para sala de injeção para administração do radiofármaco por via intravenosa.
Na sequência, 10 minutos após a administração do radiofármaco, o paciente será encaminhado para a sala de exames, onde será posicionado em decúbito ventral no equipamento e imagens do pescoço e tórax serão adquiridas. Imagens adicionais poderão ser realizadas 2 e 3 horas após a administração do radiofármaco, a depender do organismo de cada paciente.
Imagens tomográficas das glândulas paratireoides (SPECT ou SPECT/CT) e imagens estáticas da glândula tireoide (após a administração do radiofármaco tecnécio) poderão ser adquiridas de modo complementar, a critério médico.

Efeitos colaterais e contraindicações:

Efeitos colaterais relacionados aos radiofármacos são raros, quando ocorrem, apresentam sintomas muito leves, sem necessidade de intervenção médica. As queixas relatadas na literatura com relação ao 99mTc-SESTAMIBI são angina, dispneia, arritmia e sabor metálico na boca.
Este exame é contraindicado para mulheres grávidas e a amamentação deve ser suspensa por no mínimo 48 horas após a realização do exame.

Como solicitar?

Cintilografia de Paratireoides – Código TUSS: 4.07.03.04-5

Considerações finais:

Em geral, considera-se que uma cintilografia pré-operatória das glândulas paratiroides pode ser uma ferramenta útil para selecionar os paciente que serão candidatos a uma exploração unilateral do pescoço, para redução do tempo de cirurgia, uma vez que as imagens da cintilografia poderão guiar uma exploração unilateral em vez de uma abordagem bilateral do pescoço.
O tamanho das glândulas paratireóides é considerado um fator importante para determinar a positividade do exame. Glândulas paratireoides pequenas podem ser mais difíceis de identificar devido a resolução dos equipamentos disponíveis, assim como a localização da glândula.

Referências Bibliográficas:

1. Coura-Filho, G.B., Torres Silva de Oliveira, M., Morais de Campos, A.L. (2022). Basic Principles of Radiopharmaceuticals. In: Nuclear Medicine in Endocrine Disorders. Springer, Chapters 6, 7. https://doi.org/10.1007/978-3-031-13224-7_1.
2. Petranović Ovčariček P, Giovanella L, Carrió Gasset I, Hindié E, Huellner MW, Luster M, et al. The EANM practice guidelines for parathyroid imaging. Eur J Nucl Med Mol Imaging. 2021;48(9):2801–22.
3. Kobylecka M, Koperski Ł, Chudziński W, Pihowicz P, Mączewska J, Płazińska MT, et al.
4. Relationship between parathyroid gland scintigraphy and its histopathology, oxyphil cell content and volume: a retrospective study. Nucl Med Rev Cent East Eur. 2019;22(1):29–33.
5. Krakauer M, Wieslander B, Myschetzky PS, Lundstrøm A, Bacher T, Sørensen CH, et al. A prospective comparative study of parathyroid dual-phase scintigraphy, dual-isotope subtraction scintigraphy, 4D-CT, and ultrasonography in primary hyperparathyroidism. Clin Nucl Med. 2016;41(2):93–100.
6. Denham DW, Norman J. Cost-effectiveness of preoperative sestamibi scan for primary hyperparathyroidism is dependent solely upon the surgeon’s choice of operative procedure. J Am Coll Surg. 1998;186(3):293–305.
7. Bula MIBI-TEC: https://www.ipen.br/portal_por/conteudo/geral/BULA%20MIBI-TEC%20Paciente.pdf Acesso em 09/02/2024 15:25h.
Autora: Dra. Mayara Torres Silva de Oliveira – CRM/SP 147.385 – Médica Nuclear 
CRM / SP 147.385 – Médica Nuclear