Cintilografia para Determinação do Tempo de Esvaziamento Gástrico

Utilizando-se um marcador radioativo não absorvível pelo trato gastrointestinal, podemos estudar o esvaziamento gástrico, de forma fisiológica, não invasiva e com baixa exposição à radiação.
Curvas de atividade em função do tempo podem ser geradas e possibilitam o cálculo do tempo que o estômago leva para esvaziar metade do seu conteúdo (T1/2).
Esse parâmetro funcional se altera em diversas patologias, sendo muitas vezes responsável por vários sintomas.

>> Principais Indicações Clínicas

  • Avaliação de pacientes com dispepsia, após exclusão de causa anatômica;
  • Suspeita de disfunção da motilidade gástrica, como gastroparesia diabética e síndromes de estase como causas de retardo do esvaziamento gástrico;
  • Dumping e síndromes do esvaziamento rápido;
  • Avaliação de intervenção e terapia farmacológica.

>> Contra-Indicações

Não existe contraindicação absoluta, entretanto, o exame não é recomendado para mulheres grávidas ou com suspeita de gravidez.

>> Efeitos Colaterais

Nenhum descrito na literatura.

>> Como Solicitar

CINTILOGRAFIA PARA DETERMINAÇÃO DO TEMPO DE ESVAZIAMENTO GÁSTRICO – Código TUSS: 40702065 – Código SUS: 02.08.02.007-1

>> Radiofármaco Utilizado

99mTc-Enxofre coloidal + alimentos sólidos (estudo com SÓLIDO);
99mTc-Enxofre coloidal + água (estudo com LÍQUIDO);
*Incluir o CID, hipótese diagnóstica e/ou indicação do exame.

>> Preparo

  • Jejum de 6 horas. Recém-nascidos podem ter o jejum reduzido para 2 horas;
  • Estudo com sólidos não é recomendado para crianças;
  • Suspensão de fumo;
  • Para as mulheres realizar nos primeiros 10 dias do ciclo menstrual (para o estudo sólido);
  • Diabéticos com glicemia < 200 mg/dl (para o estudo sólido);
  • Suspensão por 24 a 48 horas de drogas procinéticas que possam acelerar o esvaziamento gástrico, como: metoclopramida, tegaserod, eritromicina e domperidona;
  • Suspensão por 24 a 48 horas de drogas que possam retardar o esvaziamento gástrico, como: meperidina, codeína, morfina, oxicodona e antiespasmódicos anticolinérgicos, como diciclomina, fenobarbital, hiosciamina e glicopirolato.
    ORIENTAÇÕES PARA ESVAZIAMENTO GÁSTRICO LIQUIDO E SOLIDO

>> Descrição do Procedimento

  • O paciente será recebido pelo setor Recepção, onde deverá providenciar os documentos previamente relacionados para criação ou atualização da ficha cadastral, bem como ler e assinar o termo de consentimento livre e esclarecido para a realização do exame.
  • O paciente receberá um crachá de identificação e será encaminhado ao setor técnico para início do procedimento com uma entrevista para coleta de dados clínicos, verificação de preparo e orientações.
  • O radiofármaco é deglutido misturado a alimentos sólidos (2 claras, 2 fatias de pão de forma e geléia de morango) ou líquidos (água), não sendo absorvido pela mucosa do trato gastrointestinal.
  • A aquisição das imagens na projeção anterior de abdômen ocorre imediatamente após a deglutição, com imagens dinâmicas por 30 minutos para o esvaziamento líquido e imagens estáticas com tempos fixados até 4 horas da ingestão da refeição para o esvaziamento sólido.

>> Considerações Finais

Para avaliação dos padrões de esvaziamento gástrico é importante lembrar a fisiologia gástrica. O fundo gástrico é o principal regulador de esvaziamento líquido e o antro por sua vez pelo esvaziamento de refeições sólidas.
Portanto, o esvaziamento de sólido estará alterado precocemente na presença de alteração da motilidade gástrica, tendo maior sensibilidade para a detecção de gastroparesia e sendo indicado na maioria dos estudos em adultos.
O esvaziamento para líquidos demora mais para se alterar na gastroparesia (menor sensibilidade), sendo reservado nos adultos com limitação à refeição sólida ou na faixa pediátrica.
A análise do estudo baseia-se na avaliação visual e quantitativa. Na análise visual identificamos a progressão do traçador pelo estômago, duodeno e alças intestinais.
Na análise quantitativa, em estudo de esvaziamento líquido, a curva de atividade versus tempo apresenta padrão exponencial, com rápido e imediato esvaziamento. Valores normais de T1/2 de 20 a 40 minutos. Em estudo de esvaziamento sólido, a porcentagem de retenção da atividade gástrica é obtida nos tempos inicial, 1h (nl < 90%), 2h (nl < 60%) e 4h (nl < 10%). Apresenta um atraso inicial (lag phase), que corresponde ao tempo para ocorrer 10% de esvaziamento, seguido de curva de padrão linear. A fase precoce (0-2 h) reflete a função do fundo gástrico (sólidos sendo empurrados para o antro para trituração) e a fase tardia (de 2 a 4 horas) reflete trituração mais antral e propulsão da refeição para o duodeno.
Esvaziamento rápido: menos de 70% de retenção com 30 minutos ou menor de 30% retido em 1 hora.

>> Referências Bibliográficas

1. Maurer AH, Parkman HP. Update on Gastrointestinal Scintigraphy. Semin Nucl Med 2006; 36:110-118.
2. Maurer AH. Advancing Gastric Emptying Studies: Standardization and New Parameters to Assess Gastric Motility and Function. Semin Nucl Med 2012; 42:101-112.
3. Abell TL, Camilleri M, Donohoe K. et al. Consensus recommendations for gastric emptying scintigraphy: A joint report of the American Neurogastroenterology and Motility Society and Society of Nuclear Medicine. J Nucl Med Technol 2008; 36: 44–54.

Dra. Ana Claudia Moreira Neves Papa
CRM 85.516
Médica Nuclear

<< Voltar